O ditado popular que dá nome a esta crónica tem tanto de verdade que se aplica em muitas das situações das nossas vidas. Por norma, todos nós olhamos de soslaio para os outros, quando o sucesso lhe bate à porta, quando alcançam algo a que se propuseram, quando conseguem fazer o que ainda ninguém fez, etc., etc..

Hoje refiro-me aos apoios concedidos pelas autarquias da nossa região no seguimento das decisões tomadas pelos diversos executivos camarários para fazer face à crise provocada pelo Covid 19, em todos os ramos da nossa economia local. Vou referir-me essencialmente ao município de Almodôvar, realidade onde estou inserido, pois os outros apenas tenho o conhecimento comum.

250 mil euros para apoio ao tecido empresarial, compra e empréstimo de cerca de 150 computadores para os alunos mais necessitados, apoio constante às instituições de carater social do concelho, promover a realização de testes aos seniores inseridos em instituições, antecipação de algumas medidas de confinamento, adequação dos serviços da autarquia de acordo com todas as normas exigidas, apoio aos mais necessitados, um conjunto de medidas de apoio a toda a população, etc., etc..

Estas, grosso modo, são muitas das medidas tomadas pelo executivo camarário em Almodôvar. Claro que nos concelhos vizinhos medidas similares e outras terão sido tomadas. As especificidades de cada local leva a que o que se decide seja adequado à sua realidade. Mas do que conheço dos outros concelhos, penso que o que em Almodôvar já foi feito não envergonha ninguém, pelo contrário, muitas das decisões primam pela novidade, antecipação, inovação e prevenção. Claro que não fizeram tudo bem. Cometeram erros. Poderiam ter feito de outra maneira. Sem duvida! Quem tem poder decisório, faz.

Quem não tem, tem o direito de criticar. Mas minhas caras amigas e amigos, criticar quando se deve, com alternativas se as tiver, se possível nos locais apropriados. Críticas avulsas e sem fundamento não fazem sentido nos tempos que correm.

Devemos olhar para o bem que temos e tentar melhorar o menos bom. Apontar o dedo é fácil, mais ainda com exemplos que porventura desconhecemos as realidades.
Devemos olhar para as galinhas dos nossos vizinhos mas sem nunca deixar de olhar para a nossa.

Por vezes, por muito cheias que as outras estejam, a nossa até poderá ser mais saborosa!

José Francisco Encarnação
Presidente da Assembleia de Freguesia da União das Freguesias de Almodôvar e Graça dos Padrões