A Feira do Campo Alentejano na tarde de domingo.
O certame representa o concelho de Aljustrel “institucionalmente, associativamente e empresarialmente”, frisou o presidente da Câmara no fecho da iniciativa.
Nelson Brito reforçou a ideia que a Feira é uma “marca” de Aljustrel e uma montra “do que o concelho faz em 362 dias do ano” e que é apresentado nos três dias do certame.
Uma vez mais, a Feira do Campo ficou marcada pela apresentação de novos projetos, dos quais sobressai o investimento de cerca de 45 milhões de euros na criação de uma unidade de produção de “cannabis medicinal” na freguesia de São João de Negrilhos. É estimada a criação de cerca de 150 novos postos de trabalho diretos.
A “empregabilidade” continua a fazer parte da estratégia da Câmara “para que não haja mais gerações de pais a ver os seus filhos saírem de Aljustrel”, adiantou o autarca.
Nelson Brito mostrou-se satisfeito com o sucesso da Feira que voltou a apresentar a “vitalidade económica” de Aljustrel.
O presidente do município de Aljustrel agradeceu o empenho de todos os que “voluntariamente” participaram nesta Feira bem como a presença dos que saíram de Aljustrel e regressaram nesta altura para reencontrar familiares e amigos.