A Agência Federal para a Segurança da Cadeia Alimentar belga confirmou a existência de 4 casos de Peste Suína Africana em javalis, no sul da Bélgica, o que levou Portugal ao reforço das medidas de prevenção.

Na sequência desta ocorrência, a Direção-geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) recomenda o aumento do nível de alerta preventivo contra a Peste Suína Africana (PSA).

Segundo o comunicado da DGAV, estas ocorrências vêm alterar o perfil do risco associado à dispersão da doença, atendendo ao modo como a PSA estava a evoluir na Europa, uma vez que a Bélgica é um território “com uma elevada importância geoestratégica, por ser uma encruzilhada de rotas de intenso tráfego rodoviário, e também ferroviário, numa região mais central da Europa, por onde também circulam múltiplos veículos e inúmeras pessoas que podem ter como origem ou destino o território de Portugal, potencia a dispersão do vírus na Europa”.

A preocupação do Ministério da Agricultura é partilhada pelas associações de agricultores.
Segundo o presidente da Associação de Criadores do Porco Alentejano “é uma inevitabilidade que a peste suína chegue ao nosso país o que a acontecer será catastrófico para o sector”, realça Nuno Faustino.
“A confirmar-se a chegada desta doença a Portugal será catastrófica para o sector suinícola, desastroso para todos os que trabalham neste sector- Estamos muito preocupados, muitíssimo, mesmo, pois achamos que é inevitável que a peste suína africana chega ao nosso país”.